Arquivo mensais:agosto 2010

Inicio da operacao do .emp.br

A partir de 01/10/2010 o novo domínio .emp.br, criado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil[1] para estimular o uso da Internet por novos empreendedores, estará disponível para registro exclusivamente através de provedores de serviço Internet previamente cadastrados.

Para que se garanta um início suave de operação e se preservem direitos, a partir de 16 de agosto e apenas durante os primeiros 45 dias (“sunrise period”), os domínios existentes no .com.br estarão reservados no .emp.br, a espera de manifestação de seus detentores no .com.br. Ou seja, os detentores de domínios no .com.br terão 45 dias, a partir de 16/08/2010 até 30/09/2010 para, caso seja seu interesse, registrar o mesmo nome sob o .emp.br.

Durante o período de “sunrise” o titular do domínio .com.br utilizará o procedimento usual de registro, seja através do sítio do registro.br, seja através do seu provedor de serviços Internet.

A partir de 1 de outubro, findo o período de “sunrise”, todos os nomes de domínio não registrados durante o “sunrise” estarão disponíveis para registro sob o emp.br a todos os interessados, agora somente através de provedores de serviço Internet previamente cadastrados.

A lista destes provedores será divulgada oportunamente através do site do registro.br.

Registro.br
http://registro.br/

[1] http://cgi.br/regulamentacao/resolucao2010-002.htm
    http://www.nic.br/imprensa/releases/2010/rl-2010-16.htm

Páginas fluidas

Sãs as que suas dimensões se adaptam ao tamanho do navegador.

Saiba quando usa-las! 

Dentro do esquema geral de uma página web existem várias opções:

•Que a página esteja centrada ou justificada à esquerda.
•Que a pagina tenha um tamanho fixo ou que se adapte ao tamanho do navegador.

Quando o tamanho da página se adapta às dimensões do navegador temos uma página fluida. Esta adaptação se consegue fazendo as tabelas que compõem nossa página com tamanhos relativos (%).

Para notícias e texto intensivo é melhor usar páginas fluidas.

Para páginas com texto e notícias é melhor criar nossas páginas “fluidas” já que não prejudicamos a navegação em resoluções de monitor baixas (640×480) e sim que aproveitamos o uso de monitores com maior resolução ao oferecer mais informação na parte superior (menos scroll).

3. Para aplicações “web” é melhor usar tamanhos fixos. No caso de aplicações “web” tipo “web mail”, “carrinho de compra” e formulários, é melhor usar páginas com tamanho fixo já que em monitores com resolução de tela superior a 1024 a distância entre a informação e os botões, é muito grande e se perde o contexto (botões situados na margem direita e o campo de texto na margem esquerda).

Isto não evita que possamos ter a página construída com zonas “fluidas” e zonas rígidas. Dentro de uma mesma página, zonas de botões e navegação é bom conservar o tamanho fixo e em zonas de informação é melhor oferecer uma solução “fluida”.

O inconveniente de usar tamanhos “fluidos” é que o navegador Netscape demora mais para pintar a informação.

Acompanhe o mapa da chuva no Google Earth

O Google Earth, software de mapas e navegação do Google, ganhou atualizações que ampliam a camada de elementos do clima. Agora, além de ver nuvens praticamente em “tempo real”, você pode ver onde está chovendo e acompanhar os pingos caindo, desde que tenha um boa placa de vídeo.

A novidade só está disponível na versão 5.2 para desktops. Para acioná-la, procure a aba Clima e acione as opções “Nuvens” e “Radar”. Então é só procurar no mapa: as placas verdes (imagem acima à esquerda) indicam região com chuva. Ajuste o ângulo, acerte o zoom e você poderá ver a chuva caindo. Nos nossos testes, encontramos chuva nos Estados Unidos e em regiões da Europa, mas nada no Brasil (estamos sem chuva mesmo ou a atualização ainda não desceu pra cá?).

Assim, o Google Earth vai se transformando em um lugar melhor para viver. Só faltam as opções de pedir pizza e pagar contas de banco – talvez na versão 5.3.

Veja: Google Earth.
Blog: Google Lat Long Blog.

Fonte: Uol/Google