Arquivo mensais:junho 2013

A integração da hospedagem de sites com as redes sociais

WV-District-Logo-w-Facebook-Twitter

Sites como Twitter, Facebook, LikedIn, entre muitos outros, fazem parte do que é comumente chamado de rede social. Integrar a hospedagem do seu site às redes sociais é um importante passo para a visibilidade do seu conteúdo, visto que as redes sociais estão se tornando hoje em dia a maior fonte de visitação dos sites, antigamente os sites de busca, como o Google, é que eram responsáveis por gerar tráfego nos sites.

As ferramentas mais populares de CMS, tais como WordPress e Joomla, possuem ferramentas que facilitam a integração com os serviços das redes sociais. No WordPress, a própria equipe do Facebook criou um plugin, de forma que a integração do WordPress com os serviços do Facebook foi muito facilitada.

Para os usuários de Joomla, existem vários plugins que implementam a integração com redes sociais. Clicando neste link, você verá a lista dos plugins e extensões mais bem avaliados que fazem a integração do Joomla com as redes sociais.

E não basta linkar, não basta instalar o plugin, a sua participação e interação com os usuários do seu site é fundamental para que o seu site atraia cada dia mais visitantes.

Código de erros de servidores

Algumas vezes os servidores de hospedagem retornam erros ao acessar uma ou mais páginas de um site. Estes erros são conhecidos como erros HTTP. Veja abaixo o que cada um significa.

400 Bad Request – Requisição inválida, significa que o pedido que foi feito pelo navegador para o servidor não foi compreendido pelo servidor ou não possui uma sintaxe correta.
401 Unauthorized – Acesso não autorizado, este erro geralmente ocorre quando se tenta acessar alguma página que necessita de login e senha.
402 Payment Required – Acesso não autorizado, pois há necessidade de se efetuar um pagamento para poder visualizar o conteúdo da página. Este código de erro é raro, em seu lugar geralmente o erro 401 é utilizado.
403 Forbidden – Acesso negado, significa que o servidor não permite que o conteúdo seja acessado. Este erro pode ter ocorrido caso o administrador do servidor ou do site tenha decidido bloquear o acesso a determinado conteúdo.
404 Not Found – Página não encontrada, significa que a página ou arquivo não existe no servidor.
405 Method Not Allowed – Quando se acessa um servidor HTTP, os métodos mais comuns são GET e POST. Este erro indica que o servidor recebeu um método de acesso não autorizado, por exemplo, um POST (que geralmente ocorre apenas em scripts) em um arquivo estático.
406 Not Acceptable – Acesso negado pois a requisição não foi aceita.
407 Proxy – O acesso deve ser feito por intermédio de um servidor proxy e não diretamente ao servidor de destino.
408 Request Timeout – Tempo esgotado, significa que o servidor atingiu o tempo limite aguardando o navegador enviar a solicitação ao servidor. Este erro pode ocorrer com mais frequência em páginas que permitem o upload de arquivos
409 Conflict – Requisição em conflito com parâmetros do servidor
410 Gone – O servidor não retornou conteúdo algum
411 Length Required – A requisição que está sendo feita para o servidor requer a especificação do tamanho em bytes do conteúdo desejado. Este erro pode ocorrer caso um gerenciador de downloads queira obter um fragmento de determinado arquivo de forma indevida.
412 Precondition Failed – Acesso negado devido a uma condição prévia.
413 Request Entity Too Large – Tamanho de requisição maior do que o permitido pelo servidor
414 Request-URI Too Large – Tamanho de endereço (URL) muito grande, maior do que o permitido pelo servidor
415 Unsupported Media Type – Tipo de arquivo que está sendo acessado é incompatível com o servidor
416 Requested Range Not Satisfiable – Faixa de bytes que está sendo solicitada não existe ou não pode ser acessada. Este erro geralmente está relacionado a conteúdo parcial, geralmente solicitado por gerenciadores de download ou sistemas de streaming de áudio/vídeo.
417 Expectation Failed – Condição esperada falhou

Encontrando a melhor hospedagem de site

Encontrar a melhor hospedagem de sites depende das necessidades de cada site. Clientes que precisam de muito espaço em disco, geralmente optam por serviço de hospedagem ilimitadas, onde não há restrição sobre a quantidade de arquivos hospedados, desde que o cliente não utilize o espaço em disco do servidor para backup de arquivos pessoais e para outras finalidades além da hospedagem.

Cada plano de hospedagem oferecido pelos provedores possui uma quantidade de recursos e linguagens disponíveis para seus clientes. Em geral, os que utilizam Linux/Unix, fornecem PHP e CGI como padrão, alguns também oferecem Ruby on Rails e Python. Já os provedores que oferecem hospedagem em servidores Windows suportam as tecnologias proprietárias da Microsoft, tais como ASP e ASP.NET.

Embora pouco divulgado, muitos provedores informam suporte a tecnologias que não dependem do servidor para funcionar. É o caso do Flash e do JavaScript, que funcionam diretamente no navegador, entretanto, muitos provedores afirmam suportar tais tecnologias como se fosse um diferencial. Na realidade, o suporte a tais tecnologias dependem unicamente do navegador do usuário.

No final, a melhor hospedagem de sites será sempre aquela que satisfizer as necessidades de cada usuário, levando-se sempre em conta que muitas vezes, mais do que um servidor rápido estável, contam também um bom suporte e bom atendimento como importantes diferenciais e que devem ser levados em consideração na hora de se hospedar um site.

Diferenças entre plataformas de hospedagem

Na hora de hospedar um site, você deverá escolher uma plataforma de hospedagem, que definirá o ambiente em que seu site funcionar. Este ambiente é composto pelo servidor web, pelas linguagens de programação, bancos de dados e demais recursos suportados.

As plataformas mais comuns de hospedagem são:

Plataforma Windows: ideal para rodar sistemas e linguagens de programação desenvolvidas pela Microsoft, tais como ASP e ASP.NET. O servidor web é o IIS e os recursos desta hospedagem são todos voltados para o ambiente Windows. O banco de dados mais utilizado para este tipo de hospedagem é o SQL Server, embora algumas empresas também utilizem Microsoft Access para aplicações de pequeno porte também.

Plataforma Linux/Unix: é a plataforma de hospedagem mais utilizada em servidores no mundo todo, fato que se deve a estar toda baseada em sistemas de código aberto. Existe uma gama enorme de linguagens de programação disponíveis para Linux e Unix, entretanto as mais comuns são PHP, Perl, Ruby e Python. O servidor web predominante desta plataforma é o Apache, por sua vasta compatibilidade com diversos outros sistemas, mas alternativas ao Apache, que possuem melhor desempenho, como o nginx, têm despontado e crescido em bom rítimo. Como banco de dados, as opções MySQL e PostgreSQL são as mais utilizadas.

Não há como se definir a plataforma para a hospedagem de um site sem antes planejar o desenvolvimento de um site, por isso, antes de contratar um serviço de hospedagem de sites, tenha em mente que o plano e a plataforma correta será crucial para o sucesso e o correto funcionamento do seu site.

Próximo processo de liberação do Registro.br

logo_registroO Registro.br acaba de divulgar a lista de domínios do próximo processo de liberação.

O processo de liberação tem o objetivo de disponibilizar nomes de domínios descontinuados na internet.

Para visualizar a lista de domínios no processo, acesse: http://registro.br/dominio/proclib-l.html

A liberação ocorre 3 vezes ao ano e tem duração de 15 dias. Veja abaixo as datas:

Início: 08/06/2013 15:00:00
Término: 23/06/2013 15:00:00

Caso você vença o processo, procure uma empresa de hospedagem de sites para homologar o seu novo domínio.

Sugestão:

Antes de contratar um novo serviço de hospedagem, acesse  http://www.1hospedagemdesites.com.br/niveis-de-suporte-de-hospedagem-de-sites/ e considere as opiniões do artigo criado recentemente.

Para mais informações sobre o processo de liberação do Registro.br, visite: http://registro.br/info/proclib.html

 

Alojamento de sites em ambientes de alta disponibilidade

ambiente_alta_disponibilidade1

Alta Disponibilidade, conhecida também como HA (High Availability), é o termo que representa serviços que não podem sofrer interrupção. Todo servidor está sujeito a falhas, assim como todo ambiente que abriga e aloja servidores podem, eventualmente, sofrer uma pane de energia ou queda de link internet.

Para reduzir a chance de que um problema em um dos componentes possa interromper totalmente o serviço de hospedagem, a redundância 2N+1 especifica de que cada componente, desde o servidor, até os switches e roteadores, devem ser instalados em pares, em ambiente de alta disponibilidade. No caso de uma falha em um destes equipamentos, o outro, reserva, assumiria a carga de trabalho automaticamente.

Mesmo assim, não existe garantia de 100% de disponibilidade, já que até mesmo dois componentes (o principal e o reserva) podem falhar simultaneamente, por mais que esta seja uma probabilidade pequena.

Muitos usuários confundem os papéis dos players dos mercado e atribuem a eles obrigações e funções que não lhe cabem. Por exemplo, uma hospedagem compartilhada, que geralmente cobra preços populares, jamais terá esta estrutura de alta disponibilidade, pois seu preço de manutenção inviabiliza o negócio, ou seja, é impossível cobrar muito pouco e ainda assim oferecer uma infra-estrutura com tanta complexidade. Servidores dedicados também não garantem alta disponibilidade por si só, já que, isoladamente, cada servidor web continua sendo um ponto único de falha.

A solução de hospedagem em alta disponibilidade está entre as modalidades mais caras justamente por conta da duplicação de toda infra-estrutura necessária para atender a demanda, assim como a intolerância a períodos de downtime. Ainda assim, nada é garantido, sempre haverá a chance de um serviço sofrer algum tipo de interrupção, independente de quantos servidores redundantes ou reservas estejam disponíveis.

A segurança do serviço de hospedagem

data-center-security

A segurança do serviço de hospedagem de sites depende exclusivamente das práticas de segurança adotada por cada provedor. Assim como existem os provedores mais estáveis e os provedores menos instáveis, existem os provedores mais seguros e os provedores menos seguros.

O primeiro passo para ter uma hospedagem segura é escolher um bom provedor. Mesmo estando em uma hospedagem compartilhada, o provedor que você escolher para hospedar seu site precisa tomar todos os cuidados para garantir que, não importa o que aconteça, sua hospedagem estará sempre isolada e segura, mesmo que eventualmente um outro cliente do mesmo servidor tenha sua segurança comprometida ou mesmo que um usuário malicioso do mesmo servidor esteja tentando prejudicar os demais clientes.

E como saber se o meu provedor é seguro ou não? Converse. Questione. A melhor forma de saber o quão preocupado com segurança é o seu provedor de hospedagem é conversar com ele sobre esta preocupação. Provedores bem preparados saberão lhe responder na ponta da língua que tipo de cuidado eles tomam para garantir a segurança de seu serviço de hospedagem de sites.

Caso seu provedor desconverse ou fuja do assunto, procure no mercado uma empresa de hospedagem de sites que possa atendê-lo com toda a atenção e segurança que seu site merece. Existem inúmeras empresas de hospedagem de sites realmente sérias e dispostas a prestar um bom serviço.