Arquivo da categoria: Internet

Como limpar cache de formulário no Google Chrome

Você pode excluir todo seu histórico de navegação do Google Chrome ou parte dele.

Veja como é fácil!
new-google-chrome-logo

Abra o Google Chrome, clique sobre o ícone de “Propriedades” que fica no canto direito superior da tela (três barras negras na horizontal) e selecione a opção “Configurações”.

  1. No final da página, clique em “Mostrar configurações avançadas…”
  2. Procure pelo item “Senhas e Formulários” e clique na opção “Gerenciar senhas salvas”
  3. Na lista de senhas, procure pelo endereço do webmail que você usa, com respectivo login.
  4. Exclua o registro salvo com os dados errados (coloque o cursor do mouse sobre a linha e clique no “X”)

Pronto!

Agora, acesse o site desejado e digite novamente os novos dados.

Os 3 servidores web mais populares do mundo

Para se hospedar um site, é necessário um servidor web. Abaixo segue uma breve descrição sobre os 3 mais utilizados servidores web no mundo todo:

Apache: é o servidor web mais utilizado no mundo, hospeda na Internet mais de 360 milhões de sites. O Apache suporta uma variedade de recursos, muitos deles implementados como módulos para extender sua funcionalidade, entre eles o mod_access, responsável por delimitar o acesso a diretóriso e arquivos, com authenticação onde necessário e o mod_rewrite, que premite a reescrita de URLs, recurso introduzido no Apache. Alguma das linguagens de programação suportadas são Perl, PyThon, Tcl e PHP. O Apache se tornou tão popular que a maioria dos sistemas open-source o requerem para funcionar, tamanha a facilidade de uso e recursos integrados.

IIS (Internet Information Server): é o servidor web da Microsoft. Apesar de possui apenas 16% do mercado, hospedando pouco mais de 110 milhões de sites no mundo todo, o IIS suporta os protocolos HTTP, HTTPS, FTP, FTPS, SMTP e NNTP. Ele é parte integrante do Windows Server, apesar de não habilitado por padrão em uma instalação padrão do Windows. Entre suas principais características, está a integração com as tecnologias criadas pela Microsoft, tais como o Framework .NET, utilizado em páginas ASP.NET, com suporte a VB.NET, C# e multas outras linguagens.

nginx: apesar de ocupar o terceiro lugar em utilização, o nginx é o servidor web que mais cresce em utilização nos últimos anos. Ele também pode ser utilizado como um proxy reverso para HTTP, SMTP, POP3 e IMAP, e possui um foco em performance e escalabilidade. O nginx é responsável por hospedar mais de 100 milhões de sites no mundo.

 

Os diferentes servidores em um serviço de hospedagem

O serviço de hospedagem de sites geralmente agrega uma série de outros serviços. Para provê-los, diferentes tipos de servidores são necessários:

Servidor POP3: é o servidor utilizado para se fazer o download das mensagens do servidor para um programa cliente, por exemplo, o Outlook Express. O POP3 é o protocolo mais utilizado para se baixar mensagens na Internet.

Servidor IMAP: considerado um substituto ao servidor POP3, ele também permite o acesso às mensagens no servidor, mas é muito mais completo, pois possui estrutura de pastas e permite também o envio de mensagens para o servidor. A diferença principal entre o servidor POP3 e o IMAP é a de que quando o usuário utiliza POP3 ele geralmente remove as mensagens do servidor, limpando a caixa postal no servidor, enquanto que o IMAP por padrão mantém todas as suas mensagens no servidor, utilizando o espaço da caixa postal.

Servidor SMTP: é o servidor utilizado para enviar mensagens. Geralmente quando o usuário configura seu programa de e-mail, ele pode escolher POP3 ou IMAP para visualizar suas mensagens, porém para enviar o protocolo mais utilizado é o SMTP.

Servidor FTP: é o servidor utilizado para enviar arquivos para o servidor, geralmente utilizado para se permitir ao usuário atualizar as páginas do seu site.

Servidor DNS: é o servidor responsável por traduzir os nomes de domínio em números de IP, por exemplo, www.seudominio.com.br em 123.123.123.123.

Servidor Web: é o servidor que armazena as páginas, imagens e demais arquivos do site.

Sobre hospedagem segura, SSL e https

locksmithinstirling

A hospedagem segura, que utiliza o protocolo HTTPS, permite que as informações trafegadas entre o servidor web e o navegador do usuário sejam criptografadas, de forma que apenas as duas extremidades é que apenas compreenderão o que está sendo transmitido. O SSL, Secure Sockets Layer, acrescenta uma camada extra de segurança ao protocolo HTTP. Por se tratar de um sistema de troca de chaves, é necessário que o servidor web que hospeda o site em SSL tenha um certificado válido.

Estes certificados são emtidos por empresas como a CertSign, VeriSign, InstantSSL, entre tantas outras. Estas empresas atestam os dados fornecidos pela emrpesa requeirente do certificado, de forma que o certificado é emitido em nome da empresa que o solicitou, e para o hostname específico solicitado.

O uso de certificados SSL exclusivos requer que a hospedagem do site forneça um IP dedicado pra cada site, uma vez que a comunicação SSL se dá na porta 443 e a negociação da criptografia e troca de chaves ocorre antes do servidor saber qual é o domínio que está sendo acessado. Entretanto, novas tecnologias de SSL, como o SNI, permitirão aos servidores compartilhar um mesmo IP entre diversos certificados SSL, porém a adoção do SNI dependerá da atualização dos softwares servidores e dos navegadores dos usuários.

É improtante ressaltar, sobretudo, que o uso do SSL não torna um site mais ou menos seguro, ele apenas garante que as informações transmitidas estarão seguras, mas não garante, por exemplo, que as informações serão armazenadas de forma segura ou que a programação do site esteja segura. Se houver uma vulnerabilidade no site, que permita, digamos, o acesso à determinada área protegida do sistema sem o uso de senha, esta falha não seria evitada pelo SSL, portanto o SSL deve ser compreendido apenas como uma proteção na transmissão dos dados e não do site em si.

Entenda os tipos de registro DNS

Existem vários tipos de registro DNS, cada um com uma função específica:

Registro tipo A (Address): Aponta um nome, por exemplo www.1hospedagemdesites.com.br para um IP 123.123.123.123. É um dos registros mais atualizados.

Registro tipo CNAME (Canonical Name): Aponta um nome para outro nome, por exemplo, pop3.1hospedagemdesites.com.br para mail.1hospedagemdesites.com.br. O registro CNAME pode apontar até mesmo para outro CNAME, entretanto é crucial que o último apontamento de destino seja direcionado para um IP.

Registro tipo MX (Mail Exchanger): Define qual ou quais servidores receberão e-mail no domínio. Algumas empresas possuem mais de um registro MX, para que mais de um servidor seja responsável por esta tarefa. O registro MX possui um campo extra de prioridade, que permite definir em qual ordem os demais provedores devem tentar entregar mensagens.

Registro tipo PTR: Aponta um IP para um nome, por exemplo 123.123.123.123 para www.1hospedagemdesites.com.br. É muito útil na configuração de servidores de e-mail, que precisam de configuração de DNS reverso.

Registro NS: Aponta o servidor responsável pela resolução de nomes.

Hospedagem com suporte 24 horas

suporte24h1

Na hora de escolher um provedor para hospedar seu site, o horário de suporte técnico é um importante diferencial. Muitos provedores anunciam ter suporte técnico 24 horas, porém mais importante do que oferecer um suporte disponível a qualquer horário, é oferecer um suporte que responda e solucione os problemas com a maior agilidade possível.

Há provedores, por exemplo, que apesar de oferecer suporte 24×7, levam até 2 dias úteis para solucionar chamados no suporte. Ora, desta forma, de nada adianta possuir um atendimento 24 horas se os problemas são solucionados apenas por pessoas que estão trabalhando no horário comercial.

Na hora de contratar um provedor de hospedagem, leve isso em consideração. O tempo médio de atendimento é muito mais importante do que o horário de funcionamento do suporte. Nada irrita mais o cliente do que ter que aguardar vários dias para elucidar uma dúvida ou para resolver um simples problema.

Antes de contratar um serviço de hospedagem de sites, lembre-se de verificar na web por opiniões de outros clientes sobre a empresa, pois a experiência dos atuais clientes pode demonstrar como será o seu atendimento caso você opte por determinada empresa. Um bom site por onde iniciar sua pesquisa é o Hospede Conosco, que reune comentários sobre várias empresas de hospedagem do país.

Código de erros de servidores

Algumas vezes os servidores de hospedagem retornam erros ao acessar uma ou mais páginas de um site. Estes erros são conhecidos como erros HTTP. Veja abaixo o que cada um significa.

400 Bad Request – Requisição inválida, significa que o pedido que foi feito pelo navegador para o servidor não foi compreendido pelo servidor ou não possui uma sintaxe correta.
401 Unauthorized – Acesso não autorizado, este erro geralmente ocorre quando se tenta acessar alguma página que necessita de login e senha.
402 Payment Required – Acesso não autorizado, pois há necessidade de se efetuar um pagamento para poder visualizar o conteúdo da página. Este código de erro é raro, em seu lugar geralmente o erro 401 é utilizado.
403 Forbidden – Acesso negado, significa que o servidor não permite que o conteúdo seja acessado. Este erro pode ter ocorrido caso o administrador do servidor ou do site tenha decidido bloquear o acesso a determinado conteúdo.
404 Not Found – Página não encontrada, significa que a página ou arquivo não existe no servidor.
405 Method Not Allowed – Quando se acessa um servidor HTTP, os métodos mais comuns são GET e POST. Este erro indica que o servidor recebeu um método de acesso não autorizado, por exemplo, um POST (que geralmente ocorre apenas em scripts) em um arquivo estático.
406 Not Acceptable – Acesso negado pois a requisição não foi aceita.
407 Proxy – O acesso deve ser feito por intermédio de um servidor proxy e não diretamente ao servidor de destino.
408 Request Timeout – Tempo esgotado, significa que o servidor atingiu o tempo limite aguardando o navegador enviar a solicitação ao servidor. Este erro pode ocorrer com mais frequência em páginas que permitem o upload de arquivos
409 Conflict – Requisição em conflito com parâmetros do servidor
410 Gone – O servidor não retornou conteúdo algum
411 Length Required – A requisição que está sendo feita para o servidor requer a especificação do tamanho em bytes do conteúdo desejado. Este erro pode ocorrer caso um gerenciador de downloads queira obter um fragmento de determinado arquivo de forma indevida.
412 Precondition Failed – Acesso negado devido a uma condição prévia.
413 Request Entity Too Large – Tamanho de requisição maior do que o permitido pelo servidor
414 Request-URI Too Large – Tamanho de endereço (URL) muito grande, maior do que o permitido pelo servidor
415 Unsupported Media Type – Tipo de arquivo que está sendo acessado é incompatível com o servidor
416 Requested Range Not Satisfiable – Faixa de bytes que está sendo solicitada não existe ou não pode ser acessada. Este erro geralmente está relacionado a conteúdo parcial, geralmente solicitado por gerenciadores de download ou sistemas de streaming de áudio/vídeo.
417 Expectation Failed – Condição esperada falhou